oficial-300x300

Veiga PestanaOfficial Tourist Guide

VEIGA PESTANA | FEZ DA ARTE DE RECEBER, A SUA PROFISSÃO!

João Carlos Veiga Pestana passou a vida a mostrar a Madeira. Desde o tempo em que os turistas chegavam unicamente por mar.

De cicerone a guia intérprete.
‘Sou, de facto, desse tempo. Os turistas desembarcavam no molhe da Pontinha em pequenos botes dos navios de cruzeiro. Começou por ser então um cicerone, um termo antigo e que servia na altura para definir uma espécie de guia de turismo ou alguém que tinha capacidade para dirigir turistas e visitantes por museus, galerias e similares, explicando-lhes curiosidades e acontecimentos de interesse vário, entre os quais se destacava os arqueológicos, históricos ou até mesmo artísticos. Foi por amor àquilo que fazia que tirou o curso de Guia Intérprete. ‘Éramos, ao todo, talvez umas 15 pessoas’.
Hoje leva no seu currículo condecorações, distinções e inúmeras recomendações na carteira profissional. Na ‘mala’, cinco idiomas que o ajudaram e ainda ajudam a quebrar fronteiras e a manter amizades que perduram.
Bem humorado, revela que o turismo dessa época era francamente superior ao de hoje. Hoje, as dificuldade são outras, especialmente com a concorrência desleal de ‘piratas’ que sem habilitações se encarregam de fazer um papel triste e desmerecendo toda classe que muito se esforça para vender bem a nossa terra’.

Proteger a profissão 
‘É preciso proteger mais a profissão’.
Veiga Pestana admite que a profissão de Guia Intérprete é, na esmagadora maioria da vezes, incompreendida. Somos o cartão de visita que certamente deveria ser mais acarinhado por quem contrata. Não tenho dúvidas que devem dar entrada muitas dezenas de cartas nas agências a elogiar o trabalho de cada profissional. ‘Se um turista regressa uma, duas, três vezes e até mais à Madeira, garanto-lhe que em parte se deve ao tratamento que recebeu e nos percursos efectuados pela Ilha’, frisa. ‘Nós somos a cara, o postal que eles recebem logo à chegada, quer seja no aeroporto ou no porto do Funchal’.
👉http://www.dnoticias.pt/impressa/hemeroteca/revista-mais/197181-entrevista-joao-carlos-veiga-pestana-PCDN197181#

O Secretário Regional de Turismo e Cultura esteve reunido com Veiga Pestana que, aos 87 anos, continua a exercer a profissão de Guia Intérprete Oficial.

O encontro foi para Eduardo Jesus, “uma grande viagem sobre um passado que é de uma riqueza extraordinária para o presente e uma garantia para o futuro”, acrescentando que reunir com Veiga Pestana é “aprender a construir uma Madeira melhor”.

Segundo o governante, a dedicação de Veiga Pestana permite “aprender com quem viveu, sentiu e lutou por este destino turístico ao longo das últimas seis décadas”. Por isso, considerou “um privilégio” o contacto com a experiência acumulada por Veiga Pestana, entendendo-a como uma “oportunidade de elevada importância.”

Eduardo Jesus regista ainda, com muito agrado, a existência de pontos de vista comuns que convergem para a exigência que se coloca na qualificação do destino Madeira.

João Carlos Eiras da Veiga Pestana completa 88 anos em Outubro e continua a exercer a profissão de Guia Intérprete Oficial.

Em 1962 terminou o curso Superior de Guia Intérprete Oficial e de Correio de Turismo, com a melhor nota entre 15 concorrentes.

O jornalismo fez parte da sua vida – foi director do Comércio do Funchal, trabalhou para a Associated Press e Lusitânia, o que lhe proporcionou entrevistar e conhecer muitas personalidades famosas, experiência que transportou para o seu dia-a-dia, no contacto com os turistas que vêm à Madeira.

Fala de milhares de visitantes que lhe passaram pela vida e que continuam, já que neste momento, são os que desembarcam dos navios para um passeio de meio dia na cidade ou arredores. Português inglês, espanhol, francês e italiano são os idiomas que domina e faz questão de manter a sua ligação com as agências de viagens com quem trabalha há mais de 40 anos.

Considera os guias intérpretes oficiais da Madeira, os “melhores do mundo, bem preparados e que privilegiam o contacto pessoal”. O decano Veiga Pestana, acredita que os turistas vêm à Madeira pela informação correcta que lhes é dada. Teima em que “a qualidade é melhor que a quantidade” e que por isso, a Região Autónoma da Madeira, tem de continuar a preservar os excelentes serviços hoteleiros, a beleza natural, com os tão caraterísticos socalcos, a par de um belíssimo anfiteatro.

Veiga Pestana recebeu do Governo Regional, a Estrelícia Dourada assim como a Medalha de Mérito Turístico.

👉 https://www.dnoticias.pt/5-sentidos/eduardo-jesus-diz-que-falar-com-veiga-pestana-e-aprender-a-construir-uma-madeira-melhor-BI5875175